Projeto ‘Ponto Firme’ leva peças confeccionadas por presos ao SPFW

Anitta e Pabllo Vittar foram algumas das estrelas que também já usaram peças produzidas pelo projeto

Os presidiários da Penitenciária II Desembargador Adriano Marrey, em Guarulhos, na Grande São Paulo, há 4 anos estão tendo a oportunidade de frequentar o curso de crochê “Ponto Cego”. O projeto socioeducativo que tem por objetivo ensinar a arte da costura para presos que cumprem pena naquele local, além de ser uma alternativa de sustento pós liberdade, garante lugar nas passarelas do São Paulo Fashion Week (SPFW) desde o ano passado.

Com as orientações do estilista Gustavo Silvestre, o tema “cotidiano do presídio” que foi levado às passarelas de 2018, contou com peças que reproduziam uniformes, e referências a futebol, mulheres, religiosidade e liberdade. Já este ano, inspirado nas taxas de reincidência criminal do país, o tema apresentado nas passarelas de abril fez referências as “oportunidades (e a falta delas)”.

O projeto que já vestiu famosos como Anitta e Pabllo Vittar, na última quarta-feira (22) ganhou, dentro da própria penitenciária, um desfile exclusivamente feito para os detentos. A idéia foi que os artesões pudessem ver o resultado final de suas obras, já que devido a suas condições, não podem sair para contemplar seus desfiles.

As peças feitas, por questões legais, não podem ser vendidas. Mas várias delas já foram destinadas à Campanha do Agasalho e as que foram às passarelas ficam guardadas no ateliê de Silvestre, como obras de arte. Os artesãos que decidiram seguir com a atividade após cumprirem sua pena, contribuíram com Gustavo Silvestre na produção de peças para seus clientes: provadores de crochê para uma loja da marca carioca Farm em Nova York.

Gostou da nossa matéria? Então segue lá o nosso instagram: http://www.instagram.com/revistajurema

Gosta de moda como forma de ativismo? então dá uma olhadinha nosso post sobre o SPFW: http://revistajurema.com/principal/spfw-2019-chega-para-mostrar-que-moda-tambem-e-ativismo/

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: